quinta-feira, 23 de abril de 2015

SAUDOSA E INESQUECÍVEL ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE ANTONIO BEZERRA.


O projeto da construção da estrada de ferro ligando a cidade de Fortaleza a cidade de Sobral passando pela cidade de Soure (antigo nome da cidade de Caucaia), entre outras cidades do interior cearense, teve o contrato assinado em 15 de Abril de 1872 pelos senhores Antonio da Cruz Guimarães e José Joaquim Guimarães, com a Companhia da Via Férrea de Baturité, que fora inaugurada em 25 de Junho de 1870, administradas pelos Srs. Senador Pompeu, Joaquim Cunha Freire, (Barão de Ibiapaba), Gonçalo Batista Viera (Barão de Aquiraz) além do Engenheiro José Pompeu de Albuquerque e o Engenheiro Inglês Heney Brochhust, mas este projeto não foi realizado por questões políticas.
Em 30 de Março de 1873, era inaugurada a estação ferroviária do Arroche. Na época, era município, que acabou sendo anexado a cidade de Fortaleza nos anos 1920. Em janeiro de 1944 teve o nome alterado para Parangaba, por determinação do CNG - Conselho Nacional de Geografia, sendo a segunda estação ferroviária a ser construída, a primeira foi a João Felipe. Em 1909 foi iniciado a construção da linha férrea norte de Fortaleza a cidade de Sobral, publicada pelo decreto nº 9.657 de 10 de Julho de 1910. Trabalhos realizado pela firma Inglesa “The South American Railway Construction Company Limited ” O projeto original tinha a linha férrea em sentido tangente que iria de encontro ao vilarejo do Tabapúa, passando pela aldeia dos índios Tapeba, por estes motivos o projeto foi modificado que teve que fazer um enorme contorno depois do Barro Vermelho, que hoje e conhecido como “ Volta da Jurema”.
Em 25 de Agosto de 1915, a firma inglesa passa o comando administrativo para a RVC (Rede Viação Cearense) que inicia a construção final da linha férrea Fortaleza a Soure inaugurada em 12 de Outubro de 1917 com uma extensão de 19,600 km de linha férrea. A Inauguração solene aconteceu na estação do Barro Vermelho, batizada como o nome de “Mestre Rocha”, estiveram presente o diretor da R.V.C, Engenheiro Henrique Eduardo Couto Fernandes, além de várias autoridades políticas e religiosas. Estiveram presente à solenidade vários moradores do Barro Vermelho entre eles Antonio Bezerra de Meneses, que inaugurou e estação, em seu discurso solene agradeceu em nome dos moradores a construção desta estação ferroviária que traria progresso ao Barro Vermelho. Somente em 1950 foi concluída e estrada de ferro ligando Fortaleza a Sobral
O prédio da saudosa estação Ferroviária do Barro Vermelho como ficou conhecida, era em estilo colonial inglês. Ficava situado no final da plataforma atual. Era composta de uma linha férrea que passava pelo lado esquerdo e outra pelo lado direito que encontrava-se logo adiante, como e atualmente. Existia três compartimentos: no primeiro, funcionava a sala do telégrafo, com janelas para cada lado; no segundo ficava a bilheteria e administração da estação e o terceiro ficava o deposito de cargas. Ao lado existia vários bancos de madeiras, o telhado era em estilo tesoura onde existia um sino pendurado no teto no lado direito que anunciava com fortes badaladas a chegada e saída dos trens. A cor da fachada era sempre amarela com letras pretas identificando a parada, primeiro, Barro Vermelho, depois Antonio Bezerra e logo acima a logomarca da RVC e depois RFFSA. Não existia grades ou cercas a seu redor. Era tudo aberto.
Em 1957 a RVC passa a ser RFFSA (Rede Ferroviária Federal S.A), em 1996 passa para RFN (Rede Ferroviária do Nordeste). Em 1988 com a criação da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) são implantadas novas plataformas nas antigas estações ferroviárias da capital. O prédio da nossa estação e demolido impiedosamente para construção da atual estação. Já a antiga estação ferroviária da Parangaba foi preservada através de movimentos de preservação histórico e cultural. Foi Tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal em 18 de janeiro de 2007, depois de várias ameaças de demolição. Já a nossa deveria ser preservada e tombada, mas não existiu interesse de preservá-la por parte das lideranças políticas e culturais do nosso bairro.
Hoje a estação ferroviária de Antonio Bezerra e administrada pela METROFOR (Companhia Cearense de Transporte Metropolitano de Fortaleza) o Metrofor e responsável pela administração, construção e planejamento do sistema de metrô na cidade de Fortaleza e sua região metropolitana.
Hoje passado quase um século de sua inauguração, 98 anos de existência, muita coisa mudou. Os transportes ferroviários evoluíram, o que antes eram trens a vapor transformaram-se em trens elétricos, já estamos na era do metrô subterrâneo e de superfície, já utilizamos modernos sistemas de interligações de transportes urbanos. O progresso e as novas tecnologias modificam e ao mesmo tempo destroem um passado nostálgico, quando uma simples chegada do trem era motivo de festa nas vilas e cidades cearenses. A pequena estação ferroviária do Barro Vermelho, hoje apenas estação de Antonio Bezerra, ficaram apenas lembranças esquecidas nos registros da história dos transportes ferroviário. Ela teve seu papel na formação inicial do nosso bairro, tendo sido um marco histórico referencial em termos de transporte ferroviário do Ceará.

Valentim Santos.
Professor, Historiados e Sociólogo.




  


2 comentários:

  1. Texto publicado na REVISTA ANTONIO BEZERRA . COM numero 3.

    ResponderExcluir
  2. EU TENHO A IMAGEM VERDADEIRA DA PRIMEIRA ESTAÇÃO DO BARRO VERMELHO NA ÉPOCA DAS MARIAS FUMAÇAS A SEGUNDA DO TEMPO DA RVC E RFFSA EM PUBLIQUEI NO FECEBOOK NO GRUPO ESTAÇÕES FERROVIÁRIA DO CEARA.

    ResponderExcluir